top of page
Tierras Legal

Titularidade e Registro de Imóveis

Os títulos de propriedade no Panamá são muito semelhantes aos títulos de “taxa simples” nos Estados Unidos.
O Panamá tem um Registro Público muito sofisticado com um Departamento de Cadastro que supervisiona o registro dos títulos de propriedade do país. O título de propriedade é o tipo preferencial, pois é facilmente verificável no Sistema de Registro Público, além de proporcionar maior segurança às leis imobiliárias panamenhas, além de uma visão acurada sobre investimentos, já que a propriedade privada é garantida pela Constituição da República do Panamá.

O processo de titulação é um procedimento longo, que exige os seguintes requisitos:

  1. Procuração 

  2. Solicitação de inscrição ou diploma 

  3. Prova de como a posse foi adquirida (por exemplo, por meio de um contrato de compra de direitos de posse)

  4. Certidão emitida pela Autoridade Governamental atestando os direitos de posse (Cadastro, Reforma Agrária, Prefeitura, Corrigido e/ou testemunha)

  5. Plano original assinado por um Engenheiro Oficial Autorizado.

  6. Certidão da Câmara Municipal, atestando que não há oposição a tal titulação.

Julgamento de Sucessão no Panamá

O processo de julgamento de sucessão de propriedade no Panamá.

 

Terminado o duelo, as pessoas próximas ao falecido vão se perguntar o que acontece com todos os bens que pertenciam ao falecido? Perguntas como quem ou quem são seus herdeiros? Quem tem o direito de herdar? Por onde eu começo? É quando surge a incerteza.

  • A primeira coisa é saber se o falecido tinha testamento ou não.

  • A segunda é entrar em contato com um Advogado para solicitar o início de um Processo de Sucessão de Bens para que um Juiz julgue os bens.

Em relação ao primeiro, você deve levar em conta que existem dois tipos de Processos de Sucessão de Propriedade no Panamá:

  •  Sucessão de ativos testada no Panamá.

A sucessão testada no Panamá, é aquela em que o falecido deixou provas de sua vontade através de um testamento.

  • A sucessão intestato no Panamá.

A sucessão ab intestato é aquela em que não há prova legal do falecido para distribuir seus bens ou, em que há prova, mas não atende aos requisitos da lei. Neste caso, a distribuição dos bens é feita entre as pessoas denominadas herdar de acordo com o que a lei prevê.

Às vezes, as pessoas relacionadas ao falecido sabem se existe ou não a Vai, mas eles não têm certeza dos detalhes do mesmo, ou quando, ou onde foi que o falecido o realizou.

Em nossa equipe de trabalho, oferecemos os serviços de investigação para saber em qual Cartório da República do Panamá, o falecido deixou um registro de seu testamento.

Entendemos que às vezes é muita informação difícil para os sobreviventes do falecido processar.  Abaixo estão os processos sucessórios:

Processo de sucessão testado no Panamá

O processo sucessório do Testado pressupõe a existência de testamento legal por parte do falecido. Os requisitos básicos para iniciar o processo sucessório são:

  • Procuração.

  • Original da certidão de óbito.

  • Cópia do testamento.

  • Identificação das pessoas mencionadas no testamento.

  • Lista de bens móveis ou imóveis a distribuir.

  • Avaliação de bens móveis e imóveis para distribuição.

Recebidos os documentos no tribunal, abre-se o julgamento da sucessão testamentária, onde o Juiz declara como herdeiros as pessoas designadas no testamento.

Nesse julgamento, o juiz emitirá um ato de declaração de herança que deverá ser publicado em jornal de cobertura nacional por três dias, após os quais os bens serão atribuídos.

Estima-se que o processo sucessório do Testado no Panamá possa durar aproximadamente 4 a 8 meses, quando todos os herdeiros concordarem e toda a documentação estiver em ordem. No entanto, em alguns tribunais do interior pode demorar entre 12 e 36 meses aproximadamente.

Processo de sucessão intestato no Panamá

A sucessão intestato é quando se assume a inexistência de testamento. Nesse caso, os requisitos básicos para iniciar o processo sucessório são:

  • Procuração.

  • Certificado de defunção.

  • Obtenha a certificação de não-vontade de todos os notários panamenhos.

  • Certidão de nascimento dos filhos, se houver.

  • Certidão de casamento, se for o caso.

  • Lista de bens móveis ou imóveis a herdar.

  • Avaliação de bens móveis e imóveis a herdar. (Deve ser mencionado que a avaliação dos bens deve ser adequada, determinando o valor de mercado não só dos bens existentes no Registro Público (como imóveis ou automóveis ou navios), mas também considerando bens como obras de arte, ações em títulos da bolsa ou em empresas privadas).

Uma vez que a autoridade competente avalie e receba a documentação fornecida, é aberto o julgamento sucessório. Depois de avaliar a documentação, procedimento que pode demorar várias semanas, o notário procede à declaração de herdeiros a quem provou a sua relação com o falecido e emite uma escritura notarial.

Estima-se que o processo de sucessão a testamento possa durar aproximadamente 4 a 8 meses quando todas as partes concordarem e toda a documentação estiver em ordem. Mas igualmente, o processo nos tribunais do interior pode demorar entre 12 e 36 meses aproximadamente.

TEstado

18_8_2022, 10_13_15 a. m..jpg

Vontade no Panamá

 

 

A vontade é o documento necessário para herdar.

Quando se é jovem e cheio de vida, é difícil pensar que um dia vamos morrer. É quando estamos atingindo a maturidade e alcançamos algumas metas financeiras quando paramos para pensar, o que acontecerá com nossos ativos quando morrermos?

O mais aconselhável é deixar para um advogado ou pessoa de sua confiança, seus desejos ou sentimentos sobre quais bens ou bens você vai distribuir após sua morte.   Isso evitará discussões e situações desconfortáveis entre a família (seja próxima ou distante) ou seus amigos que podem sentir que têm o direito de reivindicar seus bens ou herança.

Portanto, o testamento é o documento que serve como ferramenta legal para garantir que a vontade do falecido seja cumprida, desde que este documento atenda aos requisitos da Lei 2 de 22 de agosto de 1916 do Código Civil do Panamá.

Uma vez que a pessoa falecer, sua vontade no testamento deve ser confirmada em um processo sucessório.

No Panamá existem dois tipos de processo sucessório: testamento (quando há testamento de acordo com a lei) ou intestato (quando não há testamento; ou quando existe testamento, mas não atende aos requisitos da lei).

Serão aulas no Panamá

Os três tipos de testamentos mais utilizados são:

  1. O Testamento Holográfico: É aquele escrito totalmente à mão pelo testador. Para evitar a nulidade neste tipo de documento, é necessário considerar certas formalidades, como a ausência de rasuras, uso de letra legível, definição do local e data da sua lavratura, apresentação legível do nome e assinatura do testador, bem como bem como a lista de bens e dos respectivos herdeiros ou legatários.

  2. O Testamento Aberto:  É escrito perante um Notário Público do Panamá, que ao mesmo tempo atua como testemunha. O referido notário apresenta o testamento como escritura pública e insere-o no protocolo notarial, reduzindo o risco de destruição ou perda. Embora seja um dos métodos mais simples, tem a desvantagem de que seu conteúdo pode ser de conhecimento público.

  3. O Testamento Selado: É quando a pessoa elabora o seu testamento e, em seguida, é entregue a um notário para ser selado, mas sem que o notário (ou qualquer outra pessoa) tenha conhecimento público do conteúdo. Nesse tipo de testamento, o selo do notário mostra que seu conteúdo é o testamento do falecido.

Além disso, existem outros tipos de testamentos, como o militar, o marítimo e o registrado no exterior. O testamento registrado no exterior tem a particularidade de seguir o processo de autenticação com carimbos de legalização para ser válido no Panamá.

Como os bens patrimoniais são distribuídos em testamentos no Panamá?

A lei panamenha distingue duas formas de distribuição de bens em testamento:

  • Sob Título Universal: Quando todos os bens, direitos e obrigações são transferidos em percentuais designados para cada herdeiro. Por exemplo, designando cinquenta por cento (50%) do valor dos bens para uma pessoa.

  • Título Singular ou Título Particular: Quando um bem ou direito privado é transferido para uma ou várias pessoas. Por exemplo, transferir o título de uma propriedade em nome de uma pessoa.

Note-se que nem sempre o testador pode deixar os seus bens a quem desejar, uma vez que existem obrigações legais com os descendentes (filhos), ascendentes (pais) e cônjuge (se houver), que são denominados herdeiros coercivos.

 Ao herdar, deve-se levar em consideração que tanto as obrigações quanto os direitos do falecido são transferidos.

Nesta medida, os herdeiros têm também a possibilidade de intentar acções contra as pessoas em que o falecido tenha pretensões a fazer; bem como, têm legitimidade para intervir nos processos em que o falecido tenha sido demandado, pelo que é necessário ser declarado herdeiro dessa pessoa, o que se consegue uma vez iniciado o processo sucessório.

bottom of page